quinta-feira, 28 de abril de 2011

Morreu porque retirava a queixa contra o marido!!!

Homem mata a mulher e esconde corpo debaixo da cama

28 de abril de 2011
Uma mulher de 32 anos foi encontrada morta com tiro na cabeça, dentro da residência em que morava em Ribeirão das Neves, Grande BH. O suspeito seria o esposo da vítima, que está foragido. A polícia militar foi chamada nesta quinta-feira, 28, pela família do marido da mulher. 

A mãe do homem de 37 anos contou à PM que ele ligou nesta quinta para ela informando que tinha matado a mulher nesta quarta-feira, 27, e que havia escondido o corpo debaixo da cama do casal. 

O marido deixou uma carta dizendo que amava a mulher, mas a relação era muito tumultuada. Na carta, ele ainda disse que se mataria. Ainda de acordo com a PM, a família da mulher relatou que eles estavam juntos há 15 anos e tem 5 filhos. 

A mulher já tinha feito queixas contra o homem na delegacia por agressão, mas sempre retirava a queixa no dia seguinte.
Os filhos do casal teriam sido deixados nesta quarta com a avó paterna pelo pai, antes de ele sumir.

Fonte: TV Alterosa

Comentário do blog:
Infelizmente o abalo emocional que uma mulher vítima de violência doméstica sofre faz com que em alguns casos ela retire a queixa contra o agressor na delegacia. Apesar da Lei Maria da Penha, e as campanhas que são produzidas para combater esse tipo de violência contra a mulher, ter encorajado algumas mulheres a denunciarem seus agressores ela ainda não está sendo eficaz para quebrar o ciclo de repetição da agressão. Após a agressão o apelo emocional do agressor, e a condição de dependência financeira da vítima  em alguns casos, fazem com que a mulher agredida desista de processar o companheiro que por sua vez repete a agressão novamente. As repetidas agressões e manipulações emocionais resultam na fatalidade. Esse tipo de violência contra a mulher (violência doméstica na relação de gênero) deixou de ser assunto de caráter privado, particular e passou a ser questão de segurança e saúde pública. A Lei Maria da Penha e os tratados internacionais com os quais o Brasil é signatário comprovam a necessidade urgente de se proteger a mulher de toda e qualquer violência nas relações de gênero.
André Silva

Um comentário:

Pequena Cristal disse...

André, o que podemos fazer de concreto com relação à isso? Não sou vítima da violência doméstica, mas me angustia muito ver esse tipo de coisa acontecendo. gostaria muito de poder mudar essa realidade de algum modo, mas não tenho idéia do que fazer para ajudar a acabar com esse tipo de coisa...